PUBLICIDADE
Política

Zeca passa Carnaval com Lula e leva peixe e "dossiê"

| CAMPO GRANDE NEWS


De viagem marcada para Corumbá, o ex-governador Zeca do PT teve de mudar o destino.


Amanhã embarca para Brasília, onde passará o carnaval com o presidente Lula, na Granja do Torto. “O presidente ligou, não tinha como recusar. Tem a amizade. Várias vezes no ano que passou fui convidado e não pude ir”, justifica o petista.


Zeca e a esposa, Gilda dos Santos, embarcam às 15h30 dessa sexta-feira e só devem retornar na próxima quarta, 25. Na bagagem, o casal vai levar pacu recheado e vitelo pantaneiro.


Zeca completa 59 anos na terça-feira ao lado de Lula. Apesar de garantir que o convite é para dias de folga, com direito a assistir desfile de escolas de samba no Rio de Janeiro, no domingo, a oportunidade de defender candidatura própria do PT em Mato Grosso do Sul não será desperdiçada.


Na mala do ex-governador segue também o que ele classifica de “dossiê”. Na verdade é um apanhado de recortes de jornais e impressões de reportagens divulgadas por sites, com entrevistas do seu maior desafeto: o governador André Puccinelli.


Além de “festar’, Zeca quer aproveitar ao máximo a proximidade com Lula para tratar de eleições em 2010. “A oportunidade é ímpar para situar das pesquisas, do momento político, da falta de compromisso desse governo do PMDB com o governo federal e dos ataques feitos ao PT”.


Da conversa com o presidente, o ex-governador espera tirar a certeza de um apoio de peso à candidatura própria.


“Vou mostrar que não dá para se aliar a esse povo. Eles manipulam obras do PAC, saem por aí dizendo que fazem obras, enquanto estão é usando verbas federais sem dar crédito. Agora o PMDB fica por aí entregando uniforme, isso é medíocre”, ataca.


Explicações - Antes de preparar as malas para a viagem, o ex-governador ligou a Corumbá e justificou o motivo da mudança na agenda. Ele deveria ter reuniões com lideranças locais e com o prefeito Ruiter Cunha (PT), além de aproveitar o Carnaval na cidade branca.


Em Corumbá, Zeca deveria cruzar com o senador Delcídio Amaral (PT) na segunda-feira, encontro adiado mais uma vez. “Na verdade não tinha nada marcado. Até porque o senador vai acompanhando o governador na segunda-feira, em uma agenda deles”.


A proximidade entre as duas principais lideranças petistas do Estado não teve qualquer avanço nos últimos meses, garante Zeca. “Até porque, quando um não quer, dois não namoram”, brinca.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE