PUBLICIDADE
Caarapó

Igreja Católica discute fraternidade e segurança pública

'A paz é fruto da justiça' é o lema da Campanha da Fraternidade de 2009

| CAARAPONEWS


Por Dilermano Alves


Com o tema “Fraternidade e segurança pública” e o lema “A paz é fruto da justiça”, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou na Quarta-feira de Cinzas (25) a Campanha da Fraternidade 2009. A entidade católica afirma que a intenção é debater a segurança pública, com a finalidade de colaborar na criação de condições para que o Evangelho seja mais bem vivido na sociedade por meio da promoção de uma cultura da paz, fundamentada na justiça social.


Na última quarta-feira, a CNBB convocou a sociedade brasileira para o debate em torno do tema da Campanha da Fraternidade. A entidade defende a união de todos em grupos de trabalhos, integrando diversas pastorais e pessoas para identificarem situações de risco de vida e insegurança às quais moradores, em âmbito de bairro ou paróquias, sofrem, com o objetivo de criar, a partir daí, um mapa das inseguranças e forças positivas comunitárias à disposição, para se tornar um grupo permanente de trabalho de colaboração da Igreja com todas as possibilidades.


Em Caarapó, a Igreja Católica está preparada para desenvolver ações de conscientização da população local sobre o tema da Campanha da Fraternidade deste ano. O pároco local afirma que a Campanha da Fraternidade convida para uma “conversão concreta”. “Precisamos sensibilizar e mobilizar as pessoas para implantarmos uma cultura de paz”, afirma o padre Teodoro Benites.


“Precisamos refletir o sistema prisional, que, além do caráter punitivo, seja também educativo. Temos de contribuir e apoiar as políticas públicas de não-violência e sermos solidários com as vítimas de violência”, defende o titular da Paróquia Senhor Bom Jesus.

O pároco atribui os casos de violência registrados em Caarapó a uma série de fatores. Segundo ele, o tráfico de drogas, a miséria e o consumo exagerado de bebida alcoólica, somados à perda dos valores fundamentais da vida, contribuem para a violência. “Precisamos combater as causas da violência, com a instituição de políticas públicas de atenção ao ser humano, com geração de emprego, moradia, lazer”, exemplifica.

De acordo com o padre, a discussão em torno do tema da Campanha da Fraternidade estará presente nas celebrações, nos grupos de família, nos conselhos comunitários ligados à Igreja, nas pastorais e nos movimentos cristãos. “Também vamos debater com o Conselho Comunitário de Segurança, com autoridades dos poderes Executivo e Legislativo, enfim, vamos procurar realizar um amplo debate em torno do tema Fraternidade e segurança pública”, acrescenta o padre Teodoro Benites.

No texto-base da Campanha da Fraternidade, a CNBB justifica que, diariamente, chegam de todos os cantos do país notícias de injustiças e violências das mais diversas. A sociedade se torna cada vez mais insegura, e a convivência entre as pessoas é cada vez mais difícil e delicada. A CNBB quer contribuir para que esse processo seja revertido através da força transformadora do Evangelho. Todos estão convidados para uma profunda conversão, e a assumir as atitudes e opções de Jesus, únicos valores capazes de garantir, de verdade, a eficaz construção de uma sociedade mais justa e solidária e, consequentemente, mais segura.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE