PUBLICIDADE
Geral

Evangélico assume 2ª feira o gerenciamento de hospitais públicos

| DIáRIO/MS


O HE (Hospital Evangélico) de Dourados assume a partir da próxima segunda-feira o gerenciamento do HUT (Hospital de Urgência e Trauma) e HM (Hospital da Mulher). A volta do HE ao SUS (Sistema Único de Saúde) foi garantida ontem, após a Câmara de Vereadores de Dourados aprovar, por unanimidade, o projeto de lei que previa a transferência do gerenciamento dos dois hospitais públicos para o HE.


O projeto foi votado durante sessão extraordinária convocada pelo Executivo. Conforme o secretário municipal de Saúde, Edvaldo Moreira, o contrato entre prefeitura e HE já está pronto e deve ser assinado ainda hoje. “O contrato vai ser assinado nas próximas horas e o Evangélico assume o gerenciamento dos hospitais já na segunda-feira”, comentou o secretário.


Ainda ontem, havia a expectativa de que o governador André Puccinelli (PMDB) estaria hoje em Dourados para participar da solenidade de assinatura do contrato. Todavia, ao Diário MS a assessoria do governador disse que não havia nada previsto e que ele vai hoje na região norte do Estado.


Pelo gerenciamento do HUT e HM, e prestação dos serviços de alta-complexidade, a prefeitura irá pagar ao Hospital Evangélico R$ 2,4 milhões ao mês. No entanto, o Evangélico deve comandar os dois hospitais apenas temporariamente.

Pelo TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado na semana passada pela Prefeitura de Dourados, o HU (Hospital Universitário) se compromete a assumir o Hospital da Mulher em um prazo máximo de um ano. Essa incorporação deve acontecer em apenas quatro meses. Já para incorporar os serviços do Hospital de Urgência e Trauma, o HU terá um prazo de dois anos.

Ontem, a direção-geral do HU entregou ao MPE (Ministério Público Estadual) o “pré-projeto” para assumir os serviços de ginecologia e obstetrícia, atualmente oferecidos pelo HM. O documento foi entregue pelo diretor-geral do HU e vice-reitor da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Wédson Desidério Fernandes, a promotora Cristiane Amaral Cavalcante, da Vara da Cidadania.


Segundo o diretor-geral HU, ontem foi apresentado ao MPE um esboço do projeto de incorporação do HM, com informações sobre a área física que será destinada ao hospital e equipamentos e materiais necessários para o funcionamento do HM no HU. O projeto definitivo deve ser entregue ao MPE até i dia 20 de março. O HU se propôs, conforme acordo firmado com o MPE, a oferecer 40 leitos de enfermaria, 18 leitos de UTI Neonatal, 15 leitos de UTI intermediária, três salas para ambulatório e quatro leitos para hospital/dia.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE