PUBLICIDADE
Geral

Relatório norte-americano irrita autoridades da fronteira

| DOURADOSNEWS


Autoridades brasileiras reagiram com revolta ao relatório norte-americano que afirmou haverem terroristas na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina. AS autoridades paranaenses já pensam, até mesmo em escrever uma carta para o presidente BArack Obama para que ele retire as acusações do Estado que governa contra a região comum aos trÊs países.

A divulgação dos dados foi feita pelo serviço de segurança americano para os senadores no Congresso, onde os políticos ouviram que na região há um suposto financiamento ao terrorismo islâmico.
O primeiro a reagir foi o prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi, que externou a opinião dele na rádio Band FM. Foi ele quem sugeriu uma carta-protesto à Barack Obama. “Se alguém manda dinheiro daqui para ajudar o Hezbollah, manda também de Nova York”, disse Mac Donald, para quem “o dinheiro não tem cheiro, não tem cor e não tem pátria” e cidades dos Estados Unidos seriam as principais fontes de remessas que, mais tarde, chegam às mãos dos grupos islâmicos.
“Nós colocamos à disposição toda a estrutura da Polícia Federal, o governo federal pôs e não acharam nada. Eu fico extremamente desagradado com os americanos e vou fazer uma carta ao presidente Obama [...] ele que mande fazer uma varredura aqui, que veja, para que acabe com isso”, desabafou o prefeito.
No mesmo dia o secretário de Assuntos Internacionais da prefeitura de Foz do Iguaçu, Sérgio Lobato, também foi à rádio falar sobre o assunto. Ele disse conhecer “cada comerciante de origem árabe de Foz do Iguaçu” e jamais ter encontrado indícios de terrorismo ou financiamento a atividades de grupos radicalizados do Oriente Médio.
Lobato admitiu, no entanto, que é comum a prática de envio de dinheiro a familiares que permanecem no Líbano, situação verificada, também, no caso dos brasileiros residentes no exterior e que, mensalmente, enviam parte de seu salário para auxiliar os parentes que continuam a viver no país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE