PUBLICIDADE
Geral

Compra de monografias pela web cresce sem impedimentos legais

| NOTíCIAS NA INTERNET


O trabalho final de conclusão de um curso superior é a prova final para os acadêmicos alcançarem o diploma e entrarem como profissionais no mercado de trabalho, mas nem todos enfrentam esse desafio com as próprias mãos. Nos últimos anos, com o crescimento do ensino superior no Brasil e a popularização da Internet, um novo serviço vem ganhando clientes: a venda de monografias e outros trabalhos de conclusão de curso.


Qualquer busca por monografia no Google já mostra a presença maciça desse comércio. São diversos sites, alguns já bem estabelecidos, com a faixada de auxílio estudantil e outros com menos vergonha, anunciando diretamente a venda de monografias.


Mas por que esses comerciantes conseguem viver tão livremente na web? Talvez uma das explicações seja que o ato da compra de monografias não seja ilegal, como explica o advogado Evandro Silva Barros, Supervisor do Núcleo de Pesquisa e Monografia Jurídicada da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco): “A proibição de comprar a monografia, legalmente falando, não existe fora do âmbito da universidade. Você produzir monografias, para comercializá-las, não é efetivamente uma prática ilegal. Vai ser prática ilegal o aluno que utilizar dessa monografia e apresentar dentro da universidade, que vai ter uma regulamentação que proíbe isso.”


O difícil é descobrir uma compra, conta o advogado, mas é preciso uma regulamentação para punir quando descobrir. “A reprovação do acadêmico que se utilizou de monografia jurídica adquirida é fator de profunda indignação deste, a ponto de muitos deles reclamarem da atuação daqueles a quem encomendaram os trabalhos, indicando-lhes o nome, assim como, os valores pagos. Nesse passo, vale ressaltar que, em média, os valores cobrados atingem R$ 800,00”, conta Evandro Barros.


Apesar de tudo, a internet veio pra ajudar quem fiscaliza, acredita o supervisor, que cita a iniciativa da Capes de exigir que todos os trabalhos de conclusão de mestrado e doutorado sejam disponibilizados na internet.




Fonte de renda



Além dos sites, há muitos autônomos trabalhando com a venda de monografias e até trabalhos mais simples de faculdade, como é o caso de Caroline *, que há sete anos atua na área de assessoria acadêmica, como ela classifica o seu trabalho.


“Eu atendo pessoas que não tem tempo para fazer a monografia ou não tem "saco" para as regras de ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A pessoa vem, apresenta o tema (com ou sem pré-projeto) e eu trabalho junto com a pessoa. Claro que o acadêmico mal põe a mão na massa, mas isso depende muito dele, uns são mais interessados, outros menos interessados”, explica Caroline.


Ela cobra entre R$ 500,00 e R$ 2.000,00 para trabalhos, desde os mais simples como relatórios e projetos até dissertações de mestrado. Segundo suas contas, ela já produziu mais de 1.500 trabalhos para acadêmicos de quase todas as áreas, “menos Exatas”, detalha.


Caroline conta que é raro ter algum tipo de problema nesse ramo: “Até hoje só tive problema duas vezes, um com um cliente que não quis pagar e outro com um que o professor desconfiou e ele se atrapalhou”.


Motivação


Mas por que as pessoas pagam por algo que devia ser feito por elas para o seu crescimento pessoal? “Olha, poucos, mas bem poucos dos meus clientes pedem por ‘preguiça’ sabe. Não é só uma questão de defendê-los, mas vejo que a maioria trabalha. Tenho casos de pessoas que passaram por situações pessoais, como morte na família e precisaram de meus serviços. A maioria esmagadora é gente que trabalha e estuda e não encontra tempo para fazer”, afirma Caroline.



Leia a matéria do Notícias Digitais sobre o plágio e a discussão sobre a falta de tempo para trabalhos escolares clicando aqui:http://www.noticiasdigitais.com.br/noticias/1-novas/644-plagio.


*Nome alterado para preservar a entrevistada
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE