PUBLICIDADE
Caarapó

Caarapó: Um morre e outro fica ferido em queda de ultraleve

Rotarianos sofrem acidente com aeronave no município de Caarapó. Um morre outro fica ferido.

| CAARAPONEWS


Por André Nezzi

Uma pessoa morreu e outra ficou gravemente ferida na queda de um ultraleve na tarde deste domingo (08), no município de Caarapó. O acidente aconteceu por volta do meio dia na Fazenda Santa Maria. 
  De acordo com informações apuradas pela reportagem do CaarapoNews que esteve no local, a aeronave pertencia ao sócio proprietário do frigorífico São Luiz de Dourados, Dilcar Durigon, 45 anos, que foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado em estado grave até o Hospital Evangélico em Dourados. Ele estava acompanhado da pessoa de Lindomar dos Santos Drunov, 32 anos, dono do Moinho de Trigo Pantanal e residia na cidade de Fátima do Sul. Drunov não resistiu aos ferimentos na cabeça e no tórax e veio a falecer após dar entrada no Hospital. Era a primeira vez que a vítima voava de ultraleve.
  Dilcar e Lindomar são sócios do Rotary Clube Dourados-Caiuás e participavam juntamente com membros da entidade de Caarapó de um projeto ecológico desenvolvido pelo clube, que visa reflorestar a mata ciliar do rio Dourados.  Ao sobrevoarem a área do projeto, a aeronave super Petrel 100 prefixo PU -CDD ano e modelo 2008 do tipo anfíbio, caiu em circunstância ainda a serem apuradas em uma região alagada, de difícil acesso.
  Os rotarianos que se encontravam presentes no local prestaram os primeiros socorros às vitimas até a chegada do Resgate e do Corpo de Bombeiros.
  Segundo o professor Mário Duran Leitão, membro do Rotary Clube de Caarapó e que foi uma das primeiras pessoas a socorrerem as vitimas, o Resgate e o Corpo de Bombeiros só conseguiram chegar ao local cerca de uma hora depois do acidente. “Os socorristas tiveram que atravessar, a pé, uma distância aproximada de 300 metros de brejo e a área ainda era coberta por capim colonião que dificultava a visualização”, disse.
   Ainda segundo Duran, o motor do ultraleve permaneceu ligado por cerca de 15 minutos o que colaborou na localização das vitimas.


           


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE