PUBLICIDADE
Geral

Socorro no caso ultraleve revela precariedade de viatura

| DOURADOSINFORMA


 

O socorro neste domingo às vítimas do acidente com o ultraleve em uma propriedade rural entre Dourados e Caarapó, no qual morreu o empresário Lindomar dos Santos Dronov, 32, revelou um outro problema: a má conservação da viatura dos bombeiros, a chamada UR (Unidade de Resgate).


Quando a viatura chegou ao Hospital Evangélico, em Dourados, às portas de trás não abriam e tiveram que ser quase arrombadas com as vítimas agonizando.


Além disso, a parte interna da UR ficou cheia de poeira que se espalhou pelo assoalho, equipamentos de primeiros socorros, medicamentos, enfim, oferecendo nenhuma condição de higiene.


O atendimento aconteceu numa área de brejo, de difícil acesso, e os bombeiros tiveram que carregar as vítimas (a outra é o empresário Dilcar Antônio Durigon que se encontra internado) por quase 800 metros.


Mas o pequeno trecho em que a UR percorreu de estrada de terra foi o suficiente para encher de poeira a parte interna deixando o ambiente totalmente inadequado para procedimentos de emergência.


A poeira entra pelas frestas por falta justamente de conservação, devido às borrachas desgastadas e com a vida útil vencida, enfim.


A reportagem do douradosinforma registrou a sujeira em que ficou a UR. Mesmo com o socorro tendo sito feito em área de brejo e terra seria até normal se sujar lençóis, macas e outros acessórios, mas o excesso de poeira entrando no veículo tornou o socorro ainda mais dramático porque a manutenção desses veículos deveria ser um procedimento de praxe, mas como mostram as fotos, não tem havido essa preocupação.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE