PUBLICIDADE
Geral

Colegas de trabalho descobrem que são pai e filho no RS


Dois colegas de trabalho descobrem que são, na verdade, pai e filho durante brincadeira na empresa em que trabalham, em Porto Alegre. A semelhança do nome deles gerou a curiosidade sobre a origem da identificação e o resultado das conversas entre Lucien Reis, 54 anos, e Lucien Lima, 22 anos, foi a união familiar.

A pronúncia do nome pouco comum, de origem francesa, foi capaz de unir o que o destino separou por longos anos. Funcionários em uma empresa de operações de marketing, o supervisor de equipe Lucien (pai) e o divulgador Lucien (filho). Bastou o mais velho tentar ensinar o mais novo a falar o próprio nome, para que surgisse a primeira conversa.

"Quis saber quem havia escolhido o nome dele. Quando me disse que tinha sido a própria mãe, fiquei ainda mais curioso e perguntei outras coisas", disse o supervisor.

"Ela disse que o nome era o mesmo do meu pai. Foi um relacionamento rápido, mas minha mãe o amava e o homenageou", disse o filho.

Ao saber que o jovem não conhecia o pai, o supervisor pediu uma descrição da mãe. Logo, não restaram dúvidas, o rapaz poderia ser filho de Lucien Reis. "Gelei com tanta coincidência. Eu caí para trás", disse o mais novo. "E eu caí para frente. Foi um choque", disse o mais velho.

Naquela mesma noite, o rapaz detalhou toda a situação para a mãe. Ela, surpresa, reafirmou a história. Na época, quando soube que estava grávida, afastou-se do namorado porque ele tinha um relacionamento paralelo.

Ainda mais nervoso com a afirmativa, Lucien (filho) tratou de separar fotos da mãe na juventude e, garante, esperou acordado até amanhecer. "Se tínhamos alguma dúvida, sumiu quando o meu pai viu a foto dela. Demorei ainda para acreditar", disse o filho.

Exame de DNA

Desde o primeiro contato, ambos acabaram selando uma forte amizade. Tanto que Lucien (pai), mesmo sem ter dúvidas da paternidade, não pretende fazer exame de DNA. "Somos muito parecidos. Temos os mesmos gestos e modos de falar. Somos rabugentos, exigentes e dispostos ao trabalho. Acho que sou parecido com meu pai", disse o mais novo.

O relacionamento entre os dois, que se iniciou há pouco mais de um ano, ficou intenso. No Natal passado, ambos decidiram ficar juntos. Neste verão, o jovem passou alguns dias na praia com o pai e a madrasta. Ele também conheceu tios e primos.

"Não tivemos afinidade nesses mais de 20 anos. Não o peguei no colo. Não pude ensinar os primeiros passos. Mas, quem sabe, os próximos eu possa ensinar", disse o pai.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE