PUBLICIDADE
Região

Vereadora de Jutí se mantém no cargo após cassação

| ASSESSORIA


Sob acusação de compra de votos e promessa de emprego público, durante as eleições do ano passado, o Ministério Público da Comarca de Caarapó, representado pela Promotora de Justiça, Fabricia Barbosa Lima, ajuizou Ação de Impugnação de Mandato Eletivo, contra a vereadora Alessandra Martins Biazotti Santoro (PMDB), julgada procedente e divulgada no final da tarde do dia 25 de fevereiro de 2009, pelo Juiz Eleitoral Fernando Chemin Cury, também responsável pelo município de Juti.


Ao ser notificada pela Justiça Eleitoral a vereadora Alessandra Santoro, representada pelos advogados Antonio Franco da Rocha, Antonio Franco da Rocha Junior e Evelise dos Santos Oliveira, recorreu da decisão por meio da Ação Cautelar 106 junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul, requerendo a concessão de liminar com efeito suspensivo, assegurando-lhe o pleno exercício do mandato até o julgamento final da ação.


Após analise dos processos o TRE através do juiz de direito, José Paulo Cinoti, concedeu liminar cautelar na quinta-feira (5), suspendendo temporariamente os efeitos da sentença da Justiça Eleitoral e assegurando a vereadora, o direito de exercer o seu mandato até a data da publicação do acórdão a ser protocolado no julgamento do recurso pelo próprio TRE.


Na sessão ordinária da ultima segunda-feira (5), a vereadora Alessandra Santoro fez esclarecimentos sobre o assunto, reafirmou o seu compromisso de continuar trabalhando em prol do bem comum de todos os jutienses e tranqüilizou seus eleitores que lhe deram a maioria de votos no pleito passado.


Alessandra Santoro disse “acreditar em Deus e na justiça dos homens, de consciência limpa sobre seus atos, e que jamais comprou votos e prometeu empregos para ninguém”, finaliza. Ela ressalta que sempre será uma fiel parceira de todos, sem medir esforços para lutar em favor de crescimento de Juti.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE