PUBLICIDADE
Política

André revela ter oferecido palanque à Dilma em troca de apoio

| MIDIAMAX


“Eu disse a Dilma que se quiser o nosso palanque no Estado, ela tem. O noivo está aqui. Só não quero é ser abandonado no altar”, disse o governador André Puccinelli (PMDB) sintetizando a conversa com a ministra da Casa Civil Dilma Rousseff sobre as eleições de 2010.
 

A declaração foi dada agora há pouco quando, o governador deixava a sede do Sebrae em Campo Grande onde participou de evento. André não esclareceu o que quer dizer com “abandonado”, mas acredita-se que ele tenha condicionado o apoio a Dilma à reciprocidade no PT local que já decidiu pelo lançamento de candidatura própria ao governo.
 

Dilma como se sabe é a virtual candidata do PT à presidência da República no ano que vem. O governador se recusou a revelar a resposta da ministra diante do seu oferecimento, sugerindo aos repórteres que perguntassem à própria Dilma.
 

O governador esteve com Dilma no dia 9 de março, após esperar meses pelo agendamento do encontro. Teve conversa reservada de alguns minutos com ela, depois participou de ampla reunião com os demais governadores da região Centro-Oeste.
 

André Puccinelli que concorrerá à reeleição em 2010 nunca negou a simpatia pela candidatura de Dilma, mas esta é a primeira vez que assume publicamente ter proposto uma parceria à ministra.
 

Até aqui, o governador tem vivido um dilema entre o PT e o PSDB. Caso feche aliança com Dilma Rousseff, estará transformando um antigo aliado em adversário. O PSDB que o ajudou a conquistar o governo e lhe dá sustentação política na Assembleia Legislativa será forçado a lançar um candidato ao governo.
 

É que os tucanos precisam oferecer palanque ao candidato a presidente da legenda. O partido tem atualmente dois nomes em vista para disputar o cargo, os governadores de São Paulo, José Serra e de Minas Gerais Aécio Neves.

iniciaCorpo("15;12;16;13;17;14;18;15");

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE