PUBLICIDADE
Caarapó

Assassino confesso de Elen diz que estava sob efeito de droga

| MIDIAMAX


Droga. Este o motivo apresentado por John Eber Matias da Silva, 19 anos, à PM (Polícia Militar) que o levou a matar Elen Neres Nunes, 31 anos, cujo corpo encontrado no domingo, 15 de março, em um matagal na rua Clevelândia no bairro Aero Rancho (região da saída para Sidrolândia, em Campo Grande).
 

Segundo informações do 10º Batalhão da PM, John disse que conhecia Elen, e que costumavam usar drogas (pasta base e crack) juntos no matagal conhecido como “Mangal” pelos moradores da região.
 

Na madrugada de sexta para sábado, Elen teria prometido trocar sexo por crack com John. “Ele contou que eles fumaram e cheiraram muito e depois, disse que ‘doidão’, sob efeito da droga, ele queria cobrar a promessa de Elen. Como ela negou-se a se entregar a ele, ele a forçou tentando estrangulá-la. Ela reagiu e ele a golpeou com pedra que estava na região”, explica o major Tolentino, responsável pela operação de prisão do rapaz.
 

“Ele disse, com calma, que a teria abusado sexualmente depois da pedrada. Foi o que ele nos disse quando preso”, completa o major.
 

John estava na casa da irmã, no bairro Portal Caiobá. Ele mora no Aero Rancho, mesmo local onde Elen morava. Moradores chegaram a dizer que Elen era andarilha, mas ela morava com a mãe e filha, segundo a PM; só que ela não parava em casa, pois desaparecia para adquirir e consumir droga.
 

O caso
 

O corpo estava com o rosto desconfigurado; moradores a teriam reconhecido como “Pintadinha”, uma andarilha que estaria morando em um barraco próximo ao matagal. Os exames periciais ainda continuam a ser feitos.

 

O corpo foi encontrado nu embaixo de um pé de manga com uma pedra grande sobre o lado esquerdo do rosto e um pedaço de madeira (tipo compensado) encobria parte do corpo.

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE