PUBLICIDADE
Caarapó

Municípios Juti e Sidrolândia recebem 8 bibliotecas rurais

| DOURADOSNEWS


A Secretaria de Reordenamento Agrário do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) vai entregar oito bibliotecas do programa Arca das Letras para aldeias indígenas Kaiowá, do município de Juti, e para assentamentos da reforma agrária do município de Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul. A atividade, organizada pela Delegacia Federal do MDA no Mato Grosso do Sul, com apoio do Programa Nacional de Crédito Fundiário, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e da Prefeitura Municipal de Sidrolândia, acontece na próxima sexta-feira (20), no Centro de Múltiplo Uso, Rua Paraná nº 1885, em Sidrolândia, a partir das 9h.


Na programação, a equipe técnica do MDA vai capacitar 16 agentes de leitura, moradores das comunidades que ficarão responsáveis pelas atividades da biblioteca. A cerimônia de entrega das arcas e de diplomação dos novos agentes será às 11h30 e vai contar com a presença de autoridades locais, estaduais e federais.

Com mais esta ação, o Mato Grosso do Sul passa a ter 163 bibliotecas em 57 municípios. São mais de 23 mil famílias atendidas por meio do acesso à leitura dos cerca de 30 mil livros distribuídos.


Leitura e cidadania


Em todo o país, o programa Arca das Letras, criado pelo MDA em 2003, implantou 5.927 bibliotecas rurais em mais de 1.700 municípios brasileiros. Até agora, o número de livros distribuídos passa de 1,2 milhão, beneficiando acima de 625 mil famílias do campo. A administração das bibliotecas é feita por cerca de 12 mil agentes de leitura, que contribuem para melhorar os índices educacionais de suas comunidades e valorizar a cultura no meio rural.

Instalada na casa de um morador, ou na sede de uma associação rural, cada biblioteca é formada, inicialmente, por cerca de 200 livros. As comunidades escolhem os assuntos que formam os acervos, o local onde a biblioteca é instalada e indicam os moradores que serão capacitados como agentes de leitura.


Os acervos são formados por livros didáticos, literatura para crianças, jovens e adultos e livros técnicos e especializados nas áreas de saúde, meio ambiente, educação, técnicas agrícolas e de pesca, estatutos e leis brasileiras, além de livros sobre os povos indígenas e temas de interesse.


Os agentes são moradores das comunidades beneficiadas que se responsabilizam pelo empréstimo dos livros e pelo incentivo à leitura. O trabalho é voluntário, e a escolha é feita em reuniões de consulta popular e de planejamento das bibliotecas.


O Programa conta com parceiros como o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação do Ministério da Educação (FNDE/MEC), o Banco do Brasil/Projeto BB Fome Zero, o Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça, o Ministério da Cultura, o Banco do Nordeste e outros órgãos públicos federais, estaduais e municipais. Também participam os movimentos sociais e sindicais, editoras, artistas e a população urbana, que contribui com a doação de livros.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE