PUBLICIDADE
Caarapó

Dado Dolabella continua preso no Rio de Janeiro

| EGO


O pedido de habeas corpus para o ator Dado Dolabella foi negado. Durante a madrugada, o advogado do ator, Michel Assef Filho, entrou com a solicitação no plantão do Tribunal de Justiça. Como o pedido foi indeferido, o representante do ator terá de reapresentá-lo ao juiz que mandou prender Dado Dolabella. Mas como o fórum do Rio de Janeiro só abre às 11h, ele ficará preso pelo menos até o início da tarde desta quarta-feira, 18. 
 

Por conta disso, Dado foi transferido da Deam (Delegacia de Atendimento a Mulher), no Centro do Rio, para a carceragem da Polinter. 
 

Por não ter concluído o curso superior, Dado não tem direito a cela especial. O ator está em uma cela comum, que divide com outros presos. Antes de ser confinado, ele passou por exame no Instituto Médico Legal, um procedimento padrão para todos que são presos.


Dado Dolabella foi preso na noite desta terça-feira, 17, por ter se aproximado da ex-namorada Luana Piovani em um camarote na Sapucaí durante o carnaval - na época, o ator foi fotografado com uma trena, em alusão à determinação judicial que o obriga a permanecer a mais de 250m de distância da atriz. Luana Piovani teria sido agredida por Dado, que então era seu noivo, em uma festa em novembro.
 

Acostumado com as polêmicas, Dado Dolabella disse que a briga com Luana só aumentou o assédio feminino. "O que eu ouvi de 'Dado, pode me bater!' e 'Dado, me leva para casa e me enche de pancada' não tem igual", disse ele em entrevista ao jornal "Extra".

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE