PUBLICIDADE
Caarapó

Paróquia Senhor Bom Jesus lança projeto do novo templo

Recursos para a obra virão de doações e campanhas de arrecadação

| CAARAPONEWS


Por Dilermano Alves


A Igreja Matriz de Caarapó terá um novo templo. O projeto foi apresentado na noite da última quinta-feira (19) durante reunião com membros do Conselho Comunitário da Paróquia Senhor Bom Jesus, agentes de pastorais e movimentos ligados à Igreja.

De acordo com o responsável pela construção, padre Marcos Roberto Pereira Silva, o projeto será apresentado à comunidade a partir do próximo domingo, durante as missas. “Também estamos planejando fazer um ato de lançamento da obra, no qual pretendemos envolver todos os segmentos da sociedade de Caarapó, a fim de que todos possam conhecer o projeto”, disse o sacerdote. A data do evento ainda não foi oficialmente agendada, mas deverá ocorrer no início de abril.

A construção do novo templo dá-se em virtude de que o antigo não comportava a demanda de fiéis nas celebrações e também porque não apresentava condições de segurança, de acordo com laudos técnicos, informou o padre Marcos Roberto. “A participação dos católicos nas missas aumentou muito e já não havia espaço com conforto para todos”, justificou. “Isso nos motivou a pensar em uma reforma e ampliação, que se tornou inviável, em razão da fragilidade da estrutura do antigo templo”, disse o padre, acrescentando que “durante a demolição do prédio, isso ficou comprovado”.

O antigo templo tinha capacidade para 450 pessoas sentadas, ao passo que o novo, com área de 832 m², deverá abrigar 700. Prevê-se um prazo de dois a três anos para que a nova sede da Igreja Matriz seja entregue à comunidade, que será construída com verba resultante de doações e de campanhas de arrecadação. Uma equipe está sendo formada para acompanhar a obra e captar os recursos para a construção.

Patrimônio histórico

O coordenador da construção do novo templo da Igreja Matriz disse que, no momento de decidir pela construção do novo templo, pesou o fato da necessidade de melhorar o espaço físico para acolher os fiéis e o “zelo pastoral”, “e não o lado histórico”. Padre Marcos Roberto considera importante a preservação do patrimônio, mas, segundo ele, o que deve ser considerado “em primeiro lugar” é a “funcionalidade pastoral”.
    “A gente sabe que muitos gostariam de ver o antigo templo tombado para o patrimônio histórico, mas isso se tornou inviável por questões técnicas”, justificou o sacerdote.
    Quanto ao início da construção do novo templo, o padre Marcos Roberto afirma que o projeto está na fase final de elaboração. A área técnica está elaborando o memorial descritivo e detalhando o orçamento. O padre acredita que as obras já terão início em menos de um mês.

             

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE