PUBLICIDADE
Política

Cabos eleitorais de Artuzi, que não receberam, vão recorrer ao TRE/MS

| WILSON AQUINO


O prefeito de Dourados, Ari Artuzi (PDT), está sendo acusado por instrutores de trânsito da cidade, de não saldar débito de campanha que o elegeu na eleição do ano passado. De acordo com Paulo Benites, presidente do sindicato da categoria (SINDIF/MS), Artuzi contratou 20 profissionais para trabalhar como cabos eleitorais, mediante a promessa de pagamento de um salário mínimo (R$ 415,00), vigente na ocasião. Ocorre que, ao término da campanha ele não cumpriu o acordo, deixando os instrutores “a ver navios”, denuncia o líder sindical.
 

 

Benites informou também que se o prefeito não efetuar o pagamento esta semana ele vai recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral – TRE em Mato Grosso do Sul, para que o órgão aplique as devidas punições ao prefeito. “Sabemos que existe legislação que protege as pessoas que trabalharam para candidatos. Esperamos que o tribunal tome as devidas providências tão logo encaminhemos a denúncia”, comenta Benites.
 

 

O sindicalista informou que os instrutores de trânsito estão indignados com  a atitude do prefeito e de seus assessores que têm feito apenas promessas de pagamento nas últimas semanas, mas não honrou o pagamento de nenhum dos 20 contratados. Benites disse também que vai encaminhar aos diretórios municipal do PDT, de Dourados, e estadual, para que intercedam junto ao “prefeito caloteiro”, conforme crítica de Benites.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE