PUBLICIDADE
Caarapó

Comando da PM diz que cota de combustível está reduzida

Falta combústiveis para as viaturas policias de Mato Grosso do Sul, em Caarapó a situação também é delicada.

| PROGRESO/CAARAPONEWS


 O Comando Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul e o comando do 3o Batalhão de Dourados ainda não se manifestaram sobre a denúncia que falta combustível para as viaturas. Ontem pela manhã, o coronel PM Geraldo Garcia Orti, comandante-geral da Polícia Militar, teria convocado os comandantes de Batalhões no interior do Estado para uma reunião emergencial em Campo Grande.

 O tenente-coronel Guilherme Gonçalves, comandante do 3o BPM, foi procurado para falar sobre o conteúdo da reunião mas não foi localizado em Dourados.Procurado pela reportagem do O PROGRESSO, o coronel PM Geraldo Garcia Orti pediu a um subordinado para atender o telefonema. O oficial, que se identificou como chefe de gabinete do Comando Geral, disse que o coronel não iria falar sobre a falta de combustível porque este não era o papel do comandante geral.

"Ele trabalha com o que tem e no momento está recebendo apenas 40% do que pede, portanto, vocês deveriam cobrar outra pessoa ao invés de querer saber quando o Comando Geral vai normalizar o fornecimento de combustível para os Batalhões da PM em todo o Estado", disse o policial. Ao ser informado que viaturas da PM estavam parando nas ruas por falta de combustível, como aconteceu anteontem e ontem em Dourados, o chefe de gabinete do Comando Geral se limitou a dizer que a reportagem "estava cobrando a pessoa errada".

 Ele não disse, contudo, quem deveria ser cobrado para solucionar a mais grave crise operacional já instalada na segurança pública de Mato Grosso do Sul. Durante a ligação, o policial confirmou que a falta de combustível atinge todas as unidades da Polícia Militar no Estado.

 "Também estamos sofrendo com o mesmo problema aqui em Campo Grande e volto a afirmar, vocês devem cobrar outras pessoas porque o coronel Orti trabalha com o que recebe e não tem qualquer responsabilidade pela falta de combustível", finalizou.

 

 O CaarapoNews apurou através de pessoas que preferem não se identificar, que as Polícias Civil e Militar de Caarapó também vem sofrendo com a falta de combustiveis, e que as viaturas só estão nas ruas ainda devido a ajuda de alguns orgãos e comerciantes.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE