PUBLICIDADE
Caarapó

Brawn GP faz dobradinha na ponta, com Rubinho saindo em segundo

| GAZETA ESPORTIVA


Que Nico Rosberg, que nada. Na hora do treino para valer, quem se deu bem na abertura do Mundial 2009 foi o inglês Jenson Button, dono da pole para o GP da Austrália com a marca de 1min26s202.
 

A Brawn GP, aliás, dominou a primeira fila do grid, já que o brasileiro Rubens Barrichello ficou com a segunda posição. Líder dos treinos livres, o alemão da Williams sai do quinto lugar, atrás de Sebastian Vettel e Robert Kubica.
 

Atual vice-campeão mundial e um dos favoritos ao título, Felipe Massa largará de uma discreta sétima colocação, duas posições à frente de seu companheiro de Ferrari, Kimi Raikkonen. A decepção fica por conta de Lewis Hamilton, que sai em último após ter trocar a caixa de câmbio e de Nelsinho Piquet, 16º.
 

A dobradinha da Brawn GP na abertura do Mundial não deixa de ser surpreendente, visto que, há um mês atrás, o time sequer existia oficialmente. Comandada por Ross Brawn, um dos responsáveis pelo sucesso de Michael Schumacher na Fórmula 1, o time nasceu da estrutura deixada pela Honda, que abandonou a categoria no final do ano passado devido à crise financeira internacional.
 

Meses de indefinição se seguiram, mas ainda assim o time continuou desenvolvendo o carro em sua fábrica em Brackley, na Inglaterra - o projeto teve início ainda na metade da temporada 2008, quando Brawn percebeu que o carro da Honda não tinha futuro e começou a trabalhar visando esta temporada, repleta de mudanças técnicas.
 

A última vez que Button havia largado na pole foi justamente na Austrália, em 2006. Na ocasião, porém, a vitória ficou com a Renault de Fernando Alonso, com o inglês em nono. Esta é a quarta vez em sua carreira que ele sai na ponta em um Grande Prêmio.
 

Ao lado de Toyota e Williams, a Brawn GP usa um difusor traseiro que é contestado pelas outras equipes do grid sob a alegação de estar fora do regulamento. Para a etapa australiana, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) liberou o uso da peça, mas os protestos continuaram e um novo julgamento está marcado para 14 de abril. Ou seja, é possível que o resultado da prova deste domingo seja canecelado no tapetão.
 

Embora tivesse apresentado um bom desempenho nos treinamentos, a escuderia japonesa terá de largar nas duas últimas posições do grid porque utilizou uma asa traseira 'extremamente flexível', conforme assinalou a FIA. Assim, Timo Glock e Jarno Trulli perderam as sexta e oitava posições que respectivamente haviam conseguido.
 

A corrida deste domingo começa às 3 horas da manhã (horário de Brasília).
 

O treino - Líder dos três treinos livres, a Williams começou dominando as ações na definição do grid de Albert Park, mas logo foi superada por Rubinho e Button, que fecharam a primeira fase do treino na liderança.
 

Vice-campeão mundial, Felipe Massa até chegou a fazer a então melhor parcial no primeiro e no segundo setor neste início de treino, mas falhou o trecho final do traçado e nao superou o compatriota em nenhum momento.
 

O ferrarista ainda perdeu posições no final, passando em sexto lugar ao Q2, ainda assim um desempenho bem melhor do que o seu maior rival de 2008, Lewis Hamilton. O campeão do mundo, aliás, por pouco não sofreu a humilhação de cair logo no Q1, indo para a fase seguinte na 15ª posição, a última antes do corte.
 

Porém, logo na sequência o inglês sofreu com um problema no câmbio e sequer voltou à pista para a nova tomada de tempos - mais tarde, a McLaren anunciou a substituição de sua caixa de câmbio e, punido, Lewis cai da 15ª para a 18ª posição, não ficando em último em virtude da desclassificação das Toyota. Já seu companheiro de equipe, Heikki Kovalainen até tentou, mas não conseguiu ir além de um 14º lugar.
 

Quem não conseguiu escapar do primeiro corte foi Nelsinho Piquet, 17º colocado, seis posições atrás do companheiro de equipe Fernando Alonso. Além do brasileiro, foram eliminados no Q1 as duas Force India e as duas Toro Rosso.
 

Com um bom equilíbrio em Albert Park, a Brawn GP voltou a fazer a dobradinha no Q2, desta vez com Rubinho à frente. A decepção ficou por conta de Kazuki Nakajima, cuja Williams alcançou apenas a 13ª posição, atrás da BMW Sauber de Nick Heidfeld e do bicampeão mundial Fernando Alonso, cuja Renault está aquém do esperado na Austrália.
 

Melhor equipe dentro aquelas que não usam o polêmico dufusor durante os treinos livres, por pouco a Ferrari não decepcionou: Felipe Massa foi apenas o nono colocado, classificando-se para a briga pela pole à frente apenas de Kimi Raikkonen.
 

A performance do time de Maranello continuou ruim na Super Pole e o brasileiro só conseguiu o sétimo lugar, duas posições à frente do campeão de 2007. O show seguiu por conta da Brawn GP, que viu seus dois pilotos travarem uma bela disputa pela pole, com Button superando Barrichello quando o cronômetro já estava zerado.
 

Confira o grid de largada para o GP da Austrália:

1: Jenson Button (ING/Brawn GP) - 1min26s202
2: Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP) - 1min26s505
3: Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) - 1min26s830
4: Robert Kubica (POL/BMW Sauber) - 1min26s914
5: Nico Rosberg (ALE/Williams) - 1min26s973
6: Felipe Massa (BRA/Ferrari) - 1min27s033
7: Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) - 1min27s163
8: Mark Webber (AUS/Red Bull) - 1min27s246
 

9: Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber) - 1min25s504
10: Fernando Alonso (ESP/Renault) - 1min25s605
11: Kazuki Nakajima (ALE/Williams) - 1min25s607
12: Heikki Kovalainen (FIN/McLaren) - 1min25s726
13: Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso) - 1min26s503
 

14: Nelsinho Piquet (BRA/Renault) - 1min26s598
15: Giancarlo Fisichella (ITA/Force India) - 1min26s677
16: Adrian Sutil (ALE/Force India) - 1min26s742
17: Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso) - 1min26s964


18: Lewis Hamilton (ING/McLaren) - punido com a perda de cinco posições por trocar a caixa de câmbio
19: Jarno Trulli (ITA/Toyota) - desclassificado por utilizar asa traseira flexível
20: Timo Glock (ALE/Toyota) - desclassificado por utilizar asa traseira flexível


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE