PUBLICIDADE
Agronegocios

Preços da carne bovina diminuem diante da crise e Quaresma

| DOURADOSINFORMA


Os preços da carne bovina em Dourados estão mais baratos desde fevereiro deste ano e dois fatores estão contribuindo para essa queda: a crise econômica e o período de Quaresma que vai até o dia 12 de abril.


Embora não se saiba ao certo se os preços vão se manter em queda após a Quaresma porque logo chega o inverno que afeta as pastagens e força as vendas, a redução nos preços também é um reflexo um pouco atrasado do fechamento dos frigoríficos Independência e da Bertin.


O financista Carlos Vitoratti, da CG Assessoria Econômica e Financeira Ltda., explicou que o fechamento dos frigoríficos Independência nesta semana afeta não apenas o mercado local, mas de todo o Estado.


A crise econômica mundial, segundo Vitoratti, reprimiu a exportação da carne bovina brasileira e com isso deverá haver maior oferta para o mercado interno e, consequentemente, tende a forçar os preços para baixo.


Um pecuarista local que preferiu não se identificar comentou que os preços praticados na praça de Dourados para o produtor na faixa de R$ 65 a arroba do boi e R$ 59 da vaca são razoáveis, “mas o engraçado é que no açougue não baixa, se baixa é muito pouco (...)”.


Ele entende que o fechamento dos frigoríficos é um engodo. “Vai acontecer de abrirem outros, o frigorífico não perde nem o fel do gado, como pode quebrar? (...) Quem ganha entre a diferença do preço da arroba e o consumidor? Os atravessadores e frigoríficos (...)”.


No Mercado Ouro Verde, por exemplo, o preço da carne de segunda com osso estava em oferta nesta quinta-feira a R$ 3,99; da costela a R$ 3,99 e da moída a R$ 4,99, preços esses que, respectivamente, estavam sendo praticados a R$ 4,99, R$ 5,99 e R$ 5,99 antes de fevereiro deste ano.


O frigorífico local está entregando a venda casada entre o traseiro e o dianteiro nos açougues a R$ 5,00 o quilo; o traseiro vale R$ 5,50 e o dianteiro R$ 4,00. “(...) Isso é para eles se livrarem do dianteiro (...)”, comentou um açougueiro.


O coxão duro está sendo vendido a R$ 8,99; a ponta de peito a R$ 6,99 e a paleta a R$ 5,99 o quilo, isso no Ouro Verde.


Um comerciante do ramo disse que as vendas caíram em torno de 20% por causa da Quaresma e o consumidor está procurando mais a carne sem osso neste momento.


“(...) Mas os preços deveriam estar mais baixos, a gente é que tem diminuído a margem de lucro para não perder as vendas (...)”.


O diretor do Procon, Rozemar Mattos, disse que assim que o órgão terminar a pesquisa sobre o preço do ovo de páscoa que deve ser concluída hoje e do peixe, vai pesquisar os preços da carne bovina. Seria a primeira do ano.


Crise


O professor Vitoratti disse que a crise mundial só não foi sentida mais forte até agora em Dourados porque inicialmente atingiu apenas o mercado do frango, mas na medida que ela se ampliar para o setor de suínos, da carne bovina e dos grãos a situação tende a ficar mais complicada.


Ele afirmou que as perspectivas são de indefinição, não se sabendo o certo o que poderá ocorrer daqui um ano. “(...) Pode ser que a crise piore e nos afete mais e pode ser que não, queira a Deus que não, mas é muito indefinido (...)”.
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE