PUBLICIDADE
Geral

Enersul substituirá 4.160 geladeiras em todo o Estado

| DOURADOSAGORA


O Programa de Eficiência Energética do governo federal já possibilitou que a Empresa de Energia Elétrica de Mato Grosso do Sul (Enersul) substituísse 3.625 geladeiras de famílias de baixa renda em todo Estado. A meta, neste primeiro ciclo, é substituir 4.160 refrigeradores até maio de 2010. A última entrega foi no dia 24 no bairro Nova Lima em Campo Grande, onde foram entregues 400 refrigeradores. O governador André Puccinelli (PMDB), participou da entrega. O programa obriga que as concessionárias de energia elétrica reservem um fundo do seu faturamento de 0,5%.

O ciclo atual do Programa de Eficiência Energética da Enersul conta com orçamento de R$ 4,8 milhões, sendo R$ 3 milhões destinados às ações desenvolvidas com os consumidores da Classe Residencial/Subclasse Baixa Renda.

Em Mato Grosso do Sul, o programa é desenvolvido em parceria com a Assembleia Legislativa e o Governo do Estado, através da Secretaria de Assistência Social, que mapeia as comunidades carentes. Dourados ainda não foi incluído. O Programa de Eficiência Energética existe há dez anos, mas desde 2007 está incluindo comunidades de baixa renda. Além da troca da geladeira, o programa ainda substitui lâmpadas incandescestes por compactas e faz a substituição das instalações elétricas que são inadequadas e ainda promove ações de educação por meio de palestras, distribuição de cartilhas com dicas de economia.

Até agora foram beneficiadas as cidades de Campo Grande, Corumbá, Ladário, Aquidauana e Anastácio. Mas o objetivo é atingir todos os 78 municípios sul-moto-grossenses.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Enersul é a Secretaria de Assistência Social do Governo do Estado, que aponta as comunidades que mais precisam do benefício, que permite que a família possa economizar de 25% a 50% nas contas de luz.

Mas para ser contemplada a família tem que se enquadrar em certas regras, tais como: precisa estar classificada como de baixa renda, além de ter média de consumo nos últimos três meses entre 80k/Wh e 220k/Wh por mês; não ter débito com a concessionária; não ter indícios de fraude no padrão de medição, e possuir geladeira classificada como condenada, segundo avaliação dos técnicos do programa.

Na troca, o refrigerador condenado é recolhido e encaminhado para um processo de reciclagem, realizado por uma empresa certificada em Paulínia (SP). O mecanismo consiste num processo industrial que desmonta o refrigerador condenado e reutiliza cada uma das peças na manufatura de novos produtos dentro de um ciclo de reciclagem 100% sustentável. O objetivo é tirar do mercado as geladeiras que emitem gás CFC (clorofluorcarbono), que ajudam a reduzir a camada de ozônio no Planeta.

INVESTIMENTO – Além das 3.625 geladeiras substituídas até março deste ano, a Enersul melhorou as instalações por meio do kit-economia mais de 6,5 mil residências e substituiu cerca de 34 mil lâmpadas incandescentes por compacta fria. (Marli Lange)
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE