PUBLICIDADE
Caarapó

Frio aquece comércio do Dia das Mães

A frente fria, que deve permanecer sobre a região nos próximos dias, está ajudando a elevar a projeção de vendas nesta Semana das Mães no comércio local de Caarapó.


 

A frente fria, que deve permanecer sobre a região nos próximos dias, está ajudando a elevar a projeção de vendas nesta Semana das Mães. Com os termômetros baixando, os lojistas apostam num acréscimo de 50% no volume de negócios, habitualmente registrados nos dias que antecedem a segunda melhor data comercial do ano, depois do Natal.

 O proprietário da Loja Preço Leve, Fábio Andrade diz que a perspectiva de um inverno antecipado traz boas novas para o setor. Fabio que faz parte da diretoria da ACIAC (Associação Comercial Industrial e Agropastoril de Caarapó) lembra que a campanha do Dia das Mães também incentiva as vendas, com as lojas ‘de rua’ abertas até às 18h e por conta de prêmios como Forno Microondas, Centrifuga, e Relógio de pulso, celular, jogo de panelas, e vales compras que serão sorteados dia 12 de maio, em frente a praça central.

 

 Os cupons estão disponíveis em todas as empresas de diferentes setores, inclusive serviços que fazem participam da promoção da (ACIAC).

Para o comerciante Anderson Viera Coutinho, da Loja Xodozinho Confecções, é a oportunidade de vencer a "paradeira" dos últimos dias. Ele vai aproveitar para desovar o estoque de Inverno que sobrou do ano passado, com uma liquidação de malhas e casacos a preços populares.

 

 Fernando Borges, da Fênix Confecções, vai fazer o mesmo. "Se empatar com as vendas de 2006, este Dia das Mães já está de bom tamanho. No entanto, acho que desta vez vai ser melhor ainda. Sem dúvida, o frio sempre traz maiores margens de lucros", calcula.

 Uma pesquisa da Fundação Instituto de Administração (FIA) e Canal Varejo, reforçam a expectativa. Dados mostram que, em relação ao trimestre anterior, a intenção de compras subiu de 45,2% para 54,8%. O consultor contábil Roberto Gonçalves, da Associação Comercial e Empresarial do Brasil (ACEB), explica o fenômeno. "Não tivemos nenhuma data significativa para o consumo de presentes, no período de janeiro a março. Pelo contrário, as pessoas estavam preocupadas em saldar dívidas que fizeram no Natal, bem como pagar impostos do começo do ano", afirma.

A pesquisa da FIA afirma ainda que os consumidores estão preferindo fazer crediário. Em conversa ao Caaraponews, o presidente da ACIAC de Caarapó, Marcos Antonio da Silva, disse que a Associação está intermediando a negociação entre os lojistas e clientes que pretendem "limpar" o nome na praça, ou seja, os que estão negativados no Sistema Cadastral de Proteção ao Crédito (SCPC) e agora precisam ficar livres das dívidas para voltar a utilizar o crediário.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE