PUBLICIDADE
ms

Após sete horas, MST libera rodovias de MS e espera reunião

Segundo o MST, a ação faz parte da jornada de luta do movimento que começou no último dia 1º com a posse da presidente Dilma Rousseff (PT)


Os manifestantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) liberaram ao meio dia desta segunda-feira (5), as quatro rodovias que foram bloqueadas em protesto reivindicando a aceleração da reforma agrária. De acordo com o coordenador regional do MST, Ronildo Lopes, já está confirmada uma reunião com o superintendente do Incra Celso Cestari Pinheiro.

O bloqueio começou na madrugada desta segunda. Foram bloqueadas as BRs-163, em Terenos e Itaquirai, e a 267, no distrito de Nova Casa Verde, em Nova Andradina. O bloqueio faz parte da Jornada Nacional de Lutas, que pede a aceleração da reforma agrária em todo o país.

 

O movimento exige a liberação de áreas já vistoriadas pelo Incra, andamento nas vistorias e a reestruturação do Incra, que eles alegam estar com a estrutura sucateada, sofrendo com falta de equipamentos e pessoal capacitado para tocar os projetos .
 

Entre as exigências do movimento também está a reestruturação da política de alimentos saudáveis, que solicita uma linha de crédito para produção de alimentos saudáveis aos assentados.
 

Em nível nacional, o movimento pede o assentamento de 120 mil famílias no primeiro ano de governo da presidente Dilma Rousseff e de 50 mil famílias por ano, nos outros três anos de mandato.
 

Na BR-262, no KM 409, em Terenos, a 28 quilômetros de Campo Grande, o congestionamento provocou cinco quilômetros de congestionamento. Os manifestantes liberaram o fluxo por 10 minutos no sentido Campo Grande-Aquiduana. Em seguida, foi permitida a passagem no sentido contrário, também por dez minutos. Veículos como ambulâncias tiveram a passagem permitida. 

Em Caarapó, o trânsito chegou a ser desviado da BR-163 para a MS-156, em Amambai, para os condutores que seguiam em direção ao sul.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE