PUBLICIDADE
Caarapó

Segundo Delegado e o Demtrat, motorista de carreta ignorou a sinalização

| CAARAPONEWS/LINéIA MARTINS


Em entrevista ao CaarapoNews o chefe do Departamento Municipal de Transporte e Trânsito de Caarapó (Demtrat), Chirato Alves Vieira, informou que o motorista da carreta Mauri Antônio Dal Savio (55), que atropelou e matou uma ciclista na manhã desta quarta-feira (7), ignorou as placas de sinalização na entrada da cidade. 

- Relembre o caso
 

“No início da avenida Dom Pedro II, próximo a empresa Coagri, tem sinalização de trânsito informando que é proibido o trafego de veículos pesados dentro da cidade e indica qual é o contorno que os motoristas devem fazer”, afirma Vieira.
 

Ao todo, segundo ele, existem cinco placas de sinalização no início da cidade, sendo que todas elas são bem próximas. A primeira está localizada na Avenida Dom Pedro II com a Rua Maranhão, que dá acesso a BR-163, próximo a um frigorifico de gado. 
 

Após ela existe mais uma placa, com apenas 30 metros de distância, também indicando a proibição do trafego dos veículos pesados. E quatro quadras após a sinalização, há mais uma placa na Avenida D. Pedro II com a Rua Cuiabá, indicando que caminhões devem fazer o contorno pelo anel viário. 

                             
 

Segundo o Delegado da Polícia Civil de Caarapó, Benjamin Lax, o motorista da carreta sabia que era proibido o trafego de veículos pesados dentro da cidade. “Ele sabia, existe placa de transito para isso. E também ele afirmou em depoimento que pensava que a rua estava fechada e por isso passou pelo centro da cidade”, afirmou Lax ao CaarapoNews.
 

O delegado afirmou ainda em entrevista à imprensa que houve imprudência do condutor do bitrem. “As ruas da cidade são projetadas para veículos pequenos, e veículos grandes não podem circular, tem que fazer o contorno na cidade, mas isso aumenta o caminho e eles acabam cortando [o caminho]”, disse.
 

O delegado ainda ressaltou que houve negligência com as regras de trânsito. “A imperícia dele [condutor] não foi em não parar, porque não tem placa de pare, o erro foi transitar com o veículo de 20 metros em uma via dentro da cidade”, explicou.
 

Mauri Antônio Dal Savio foi ouvido e liberado para responder o processo em liberdade logo em seguida, pois segundo o delegado, o motorista não fugiu e acabou não prestando socorro porque a vítima já estava morta. “Então a lei permite que ele seja ouvido e liberado”.
 

A Polícia Civil relatou que as causas do trânsito e o que ocorreu com a idosa serão investigadas. A corporação aguarda o resultado da perícia. O caso foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor.

                                 

 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE