PUBLICIDADE
Agronegocios

Em 4 anos, venda de agrotóxicos cresce 144,11% em MS, aponta Ibama

| G1 MS


Em um período de quatro anos, entre 2009 e 2013, a venda de agrotóxicos, medida pela quantidade de ingrediente ativo nos produtos, cresceu 144,11% em Mato Grosso do Sul, passando de 10,147 mil toneladas para 24,770 mil toneladas. Os dados são do Boletim Anual de Produção, Importação e Vendas de Agrotóxicos do Brasil – edição 2013, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).


Segundo o Ibama, com esse volume, Mato Grosso do Sul se manteve em todo este período como o oitavo maior consumidor de agrotóxicos do país. Em 2013, por exemplo, foi superado somente por Mato Grosso, com 87,520 mil toneladas; São Paulo, com 73,956 mil toneladas; Paraná, com 57,693 mil toneladas; Rio Grande do Sul, com 50,720 mil toneladas; Goiás, com 46,723 mil toneladas; Minas Gerias, com 34,482 mil toneladas e Bahia, com 26,425 mil toneladas.

Com base na área total cultivada com produtos agrícolas das chamadas lavouras temporárias em Mato Grosso do Sul em 2013, que, de acordo com dados do Sistema IBGE de Recuperação Automática (Sidra), foi de 4,318,120 mil hectares, a média de comercialização de agrotóxicos no estado neste ano de 5,73 quilos por hectare.

 

Em relação a classificação quanto ao uso dos agrotóxicos vendidos no estado em 2013, o boletim do Ibama aponta que 69,52% do total comercializado no ano, o equivalente a 17,222 mil toneladas de produtos, foram de herbicidas, que são destinados ao controle de plantas daninhas. Outros 12,18%, 3,019 mil toneladas, foram de inseticidas e 6,06% do total, o que representou 1,502 mil toneladas, de fungicidas.

 

O restante das vendas foi distribuído entre produtos de 16 classes diferentes, que têm desde ação específica, com os formicidas, que são voltados ao controle de formigas, aos que tem efeito combinado, contra várias pragas e doenças. 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE