PUBLICIDADE
Caarapó

Caarapó recebe motociclistas de Dourados, depois de liminar

| PROGRESSO


 Por 30 dias, a segunda maior pista de Motocross do Brasil, a Rafaél Biacnhi, está lacrada para treinos. Tudo graças a um abaixo-assinado enviado por moradores ‘próximo’ a ela, ao Ministério Público Estadual. De acordo com a ação, alguns moradores se sentem incomodados com os barulhos das motos e da poeira levantada devido os treinos. Pilotos de Motocross e Speedway que usam a pista estão se mobilizando para traçar planos de uso em comum acordo com os moradores.

Com a interdição, os pilotos de Dourados estão se deslocando até Caarapó, 60 km distante de Dourados, para treinarem.De acordo com Raul Verão, diretor-presidente da Funced, ele foi intimado pelo Ministério Público assim como o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Mário Cézar Tompes da Silva, a dar declarações, o que aconteceu no último dia 5.

No entanto, uma dúvida ainda paira na cabeça dos pilotos que tiveram acesso à ação. No abaixo-assinado, algumas assinaturas partem de moradores residentes distante da pista e a mesma pergunta é compartilhada por Raul Verão. "Eu disse para o promotor que tem assinaturas de moradores do Parque Nova Dourados, Izidro Pedroso que estão opostos à pista. Que tipo de incômodo ela estaria causando do outro lado?", questiona Raul Verão.

"Foi dito ao promotor que a competição de Motocross e Speedway ocorria apenas uma vez, no máximo duas vezes ao ano, o que é uma realidade. Agora, sobre os treinamentos, aí sim, eu concordo que existe a necessidade de disciplina", destacou Raul.

Num primeiro momento, ficou acertado entre a Funced e a Promotoria que a partir de agora, os pilotos terão que respeitar os horários de treinos estipulados e que já foi repassado aos mesmos. Porém, é necessário ainda que as partes envolvidas, pilotos, Funced e moradores entram em consenso. Se isso acontecer, a pista será liberada até que a licença ambiental seja concretizada. Caso contrário, o caso vai para o Judiciário que dará a palavra final.

Uma primeira reunião já foi feita com os pilotos no mês passado e foi colocada a eles a situação. Segundo a Funced, a Guarda Municipal de Dourados vai estar fiscalizando diariamente a pista até que a situação seja normalizada entre as partes envolvidas.

Enquanto esse impasse prossegue, os pilotos de Dourados, aproximadamente 30, se deslocam até Caarapó para realizarem os treinos.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE