PUBLICIDADE
estado

Maior expedição de soja do Brasil tem parada confirmada em quatro polos produtores de MS

| ASSESSORIA DE COMUNICAçãO DO SISTEMA FAMASUL


Em 30 anos, Mato Grosso do Sul registrou crescimento de 316% na produção de grãos. Passou de 3,6 milhões de toneladas em 1985, para15 milhões de toneladas, referente à última safra 2014/15. Atualmente é o 4º no ranking nacional de produção agrícola, patamar que o coloca na rota da maior expedição de lavouras do país, o Projeto Soja Brasil. A caravana passa pelo Estado no mês de novembro, com paradas em Chapadão do Sul (03), São Gabriel do Oeste (04), Dourados (06) e Amambai (07).

 

O Projeto leva aos polos produtores de grãos do país palestras que incluem temas relacionados às técnicas eficientes de nutrição de solo, economia no controle de pragas, refúgio sanitário, seguro rural e gestão da propriedade rural. A iniciativa é da Aprosoja Brasil – Associação dos Produtores de Soja e do Canal Rural, com a coordenação técnica da Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Na etapa sul-mato-grossense, conta com a parceria da Aprosoja/MS.

 

De acordo com o presidente da Aprosoja/MS, Christiano Bortolotto, a ação possibilita que o potencial produtivo e as informações obtidas pela expedição alcancem outras localidades do Brasil. “A ação prestará uma consultoria avançada ao produtor sul-mato-grossense, com novas dicas e técnicas que aumentam a produtividade, de forma sustentável e economicamente viável. Ao mesmo tempo, o Projeto retransmite o potencial de produção do Estado para diferentes localidades do país”, ressalta.

 

Entre os meses de outubro/2015 a março de 2016, a caravana percorre mais de 25 mil quilômetros, parando nos principais estados produtores do país em busca de informações que vão desde o plantio da soja à colheita do grão. Na 4ª edição, o Soja Brasil também investe em capacitação com o apoio do Senar – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural que através da carreta do Canal Rural, leva conhecimento e promove a troca de experiências entre os agricultores locais.

 

“O Projeto proporciona uma comunicação constante entre os produtores rurais, representantes do setor e lideranças políticas. Enquanto os especialistas tratam de assuntos preocupantes nesta temporada, como por exemplo, o mercado frente à queda no preço do grão e a valorização do dólar e o aparecimento de novas pragas nas lavouras”, explica o diretor executivo da Aprosoja Brasil, Fabrício Rosa.
 


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE