PUBLICIDADE
Caarapó

Mateus troca (PR), por (PMDB)

Prefeito de Caarapó, Mateus Palma de Farias, troca o (PR), pelo (PMDB), do Governador André Puccinelli.

| PROGRESSO


Depois de reduzir a dimensão eleitoral do PT, PDT, PTB e Democratas por meio de cooptação de prefeitos e vereadores, o governador André Puccinelli (PMDB) começa a minar agora as bases eleitorais do PR, outro partido aliado e liderado por uma das mais expressivas lideranças políticas de Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Londres Machado.

 Eleitos pelo PR, extinto PL, os prefeitos de Caarapó, Mateus Palma de Faria, e de Naviraí, Zelmo de Brida, devem concorrer à reeleição pelo PMDB nas eleições de outubro de 2008.

 A filiação foi confirmada por Mateus Palma, ao participar no sábado de rodada válida pela Copa Assomasul de futebol, ocorrida em seu município.

 "Eu e o Zelmo de Brida vamos nos filiar. Vou conversar com o governador na terça-feira para definir uma data", adiantou o prefeito de Caarapó, referindo-se ao dia em que deverá assinar a ficha do PMDB.

 Ele disse que outros prefeitos deverão tomar o mesmo caminho, no entanto não citou nomes. Apesar disso, há grandes possibilidade de o PMDB atrair para seus quadros Jocelito Krug (PTB), de Chapadão do Sul; e Sérgio Diozébio Barbosa (PDT), de Amambai, conforme assegurou uma fonte próxima ao governador.

Com a adesão dos prefeitos de Caarapó e Naviraí, o PMDB passará a controlar 23 das 78 prefeituras do Estado, incluindo as que já tinha e outras já definidas a partir da filiação dos prefeitos Marcílio Álvaro Benedito (Novo Horizonte do Sul), Marcos Pacco (Itaporã) e Luiz Brandão (Laguna Carapã), cuja data da festa falta ser marcada. Até agora, o governador só não conseguiu tirar prefeitos do PSDB, legenda aliada e que também cresce em larga proporção da campanha passada para cá.

A expectativa da cúpula peemedebista é que pelo menos mais cinco administradores, fora os já anunciados, se abriguem na legenda até 5 de outubro – data para filiação partidária e em que os candidatos devem ter domicílio eleitoral definido, conforme calendário das eleições aprovado, na semana passada, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE