PUBLICIDADE
bela vista

Vereadora é agredida por colega durante discussão por obra inacabada

| DOURADOSNEWS / DA REDAçãO


Reprodução do vídeo postado pela vereadora em seu Facebook. - Crédito: Reprodução

A vereadora de Bela Vista, Fabrizia Tinoco (PRB) foi agredida pelo também vereador da cidade, Francisco Leite Gutierres (PSDB) durante uma discussão por conta da obra inacabada em uma das ruas do município, nesta quarta-feira, dia 13 de maio. A agressão foi descrita pela própria vereadora em um vídeo publicado no Facebook.

A rua em questão é a Alvares Cabral, que conforme o relato da vereadora está há muito tempo sendo reestruturada. No vídeo, Fabrizia conta que foi até a secretaria de obras, nesta quarta-feira, cobrar do atual secretário Luís Gonzales Fernandes, sobre o porquê a obra havia sido paralisada mais uma vez.

Enquanto estava no órgão a engenheira responsável pela reforma também chegou ao local e teve inicio uma discussão. “Começamos um embate bastante caloroso, cada uma com seu ponto de vista. Eu falando que a empresa não estava prestando um bom serviço, que não tinha sido bem feito e ela falou que não iria admitir que eu falasse esse tipo de coisa, pois ela era a responsável técnica pela obra”, diz Fabrizia, no vídeo.

O vereador também estava na secretaria, mas em um primeiro momento não teria se manifestado. Francisco Gutierres já ocupou o cargo em gestões passadas.

Fabrizia relata que durante a discussão chamou Luís Gonzales de “secretário de fachada”, pois segunda ela “outro secretario, outras pessoas comandavam” o órgão. Os ânimos se exaltaram ainda mais e Gutierres teria entrado no meio da discussão.

“Você esta falando que ele é secretario de fachada?” teria perguntado o vereador antes de partir para cima da vereadora. “Ele ‘grudou’ no meu braço com toda a força, me arrastou pelos cabelos e me jogou para fora da sala como se eu fosse um lixo”, diz Fabrizia, chorando, enquanto mostra a marca de um hematoma em seu braço.

“Me senti tão violentada, tão horrorizada com a cena que eu passei na frente de outros funcionários. Eu sai dali desnorteada, sem saber o que fazer, com vergonha, com medo porque se eu ficasse ele iria me bater mais”, completa.

A vereadora ainda descreve que ao sair do local foi direto para a delegacia registrar um boletim de ocorrência. Em seguida ela também foi ao hospital da cidade fazer um exame de corpo de delito.

A vereadora diz que está “tomando as medidas cabíveis”, pois não vai mais trabalhar ao lado do colega na câmara. “Tenho medo”, ela diz. Fabrízia também justificou o porquê decidiu postar o relato na rede social. “Eu não queria tornar isso publico, porque a gente tem vergonha. Por isso que muitas mulheres apanham, sofrem violência, assedio moral e ficam caladas, mas eu não farei parte dessa estática”, conclui.

À reportagem, Franscisco Gutierres evitou dar detalhes sobre o ocorrido e disse que nesta quinta-feira irá procurar a delegacia da cidade para esclarecer o caso. “Não vou entrar no mérito do que ela falou. Estou tranquilo, tinham umas quatro pessoas que testemunharam o que ocorreu. Irei procurar os meios legais”, disse ao site Campo Grande News. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE