PUBLICIDADE
tragédia

Família de MS morre soterrada após deslizamento de terra em Minas Gerais

| DOURADOS NEWS


Foto: Divulgação/UEMS

Deisy Lúcia Cardoso Alexandrino Santos, 40, professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), unidade de Aquidauana, morreu no último sábado (8) após um deslizamento da encosta da Serra da Moeda, em Brumadinho (MG).

Conforme nota divulgada pela universidade, além de Deisy, outras quatro pessoas morreram, o marido Henrique Alexandrino, 41, e os filhos, Vitor e Ana, de 6 e 3 anos, respectivamente, além de um familiar que conduzia o carro, identificado como Geovane Vieira Ferreira, 42 anos.

O veículo que a família estava foi soterrado após o deslizamento, devido às fortes chuvas que atingem Minas Gerais. Tem ocorrido transbordamentos de rios, alagamentos e inundações em várias regiões do estado, deixando inúmeros desabrigados e mortos.

De acordo com informações da Agência Brasil, até a manhã desta segunda-feira (10), prefeituras de 145 das 853 cidades mineiras já tinham decretado situação de emergência. 

Com risco de potencial rompimento da barragem hidrelétrica da Usina do Carioca, moradores estão deixando as residências em áreas de risco. A mineradora Vale e a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) paralisaram parte as operações no estado.

Trecho da nota da UEMS, na íntegra.

“A professora Deisy deixa seu legado na UEMS, embora tenha atuado por apenas quase seis anos, demonstrou ser uma profissional de altíssimo nível, e uma pessoa capaz de colaborar com o crescimento coletivo. A família que conhecemos do curso de Agronomia de Aquidauana lamenta estas perdas, e eleva aos familiares e amigos nosso profundo pesar”, homenageia o curso em que ela era docente.

A gerência da Unidade de Aquidauana também resgitra que todos se encontram consternados com a triste notícia desta tragédia terrível com a nossa professora Deisy e familiares. "A professora Deisy, apesar de sua história ser recente na UEMS, deixa um enorme legado marcado pela sua capacidade técnica e compromisso no exercício das suas atividades. O momento é de profunda tristeza para todos nós", disse o prof. Dr. Elói Panachuki, gerente da UEMS.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE