PUBLICIDADE
Política

TRE recebe pedido de reforço policial para 11 cidades

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) recebeu pedidos de reforço do policiamento em 11 municípios. Caarapó é um deles.

| TV MORENA


 

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) recebeu pedidos de reforço do policiamento em 11 municípios, incluindo Dourados que solicitou o envio de tropas federais. Segundo o TRE-MS, juízes encaminharam pedidos de reforço das polícias Federal Militar e Civil para Camapuã, Chapadão do Sul, Sete Quedas, Iguatemi, Coxim, Miranda, Bela Vista, Caarapó, Mundo Novo e Naviraí, além de Dourados, onde o clima de animosidade é maior.

O TRE ainda está analisando os pedidos, exceto de Dourados, que será remetido ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quem compete requisitar força federal se julgar necessário. Além de Dourados, o TRE está com a atenção voltada à situação de Bela Vista, onde o juiz eleitoral Caio Brito pediu para se afastar da condução do processo eleitoral em razão de ameaças que recebeu no curso da investigação da morte do vereador de Bela Vista, Flávio Roberto de Godoy, o Ratinho.

Em Dourados, o juiz da 18ª Zona Eleitoral, José Carlos de Souza, enviou ofício ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Oswaldo Rodrigues, solicitando apoio de tropas federais para garantir a segurança das eleições. Para o juiz, a presença do Exército em Dourados pode 'tranquilizar' os eleitores diante de uma disputa que, segundo ele, está “muito acirrada”. O TRE confirmou o recebimento do ofício nesta terça-feira, por volta do meio-dia.

Nestas eleições, o TSE já autorizou o envio de tropas federais para os morros do Rio de Janeiro – onde traficantes e milícias armadas podem influenciar no resultado das urnas – para Manaus e cinco cidades do interior do Amazonas e para cidades de Alagoas e Tocantins. Cerca de 218 cidades requisitaram tropas federais ao TSE. Foram atendidos até esta terça-feira, 22, segundo o TSE, 112 pedidos.

“Temos uma eleição acirrada, fato que nos causa preocupação. Além disso, estamos numa região próxima da fronteira e a simples presença do Exército nas ruas já é suficiente para trazer mais segurança”, afirma o juiz de Dourados, ressalvando que apesar de ter plena confiança no trabalho dos órgãos de segurança pública, a disputa municipal passa por um “momento delicado” que necessita de atenção redobrada. “Não se trata de deficiência das polícias estaduais, da Polícia Federal e da Guarda Municipal. Existem outros fatores que informamos ao TRE em nosso ofício”, disse o juiz. Na Justiça Eleitoral de Dourados há outra disputa, a de processos. Denúncias dos candidatos entre si já somam cerca de 350 processos. O juiz eleitoral analisa que a disputa, além da adversidade natural, os candidatos são afilhados de caciques políticos, daí o clima de batalha.

O candidato do DEM, Murilo Zauith, tem as bençãos do governador André Puccinelli; Ari Artuzi, do PDT, tem o aval dos deputados Londres Machado (PR) e Ary Rigo (PDT); e o candidato do PT, Wilson Biasotto, é apoiado pelo prefeito Laerte Tetila. As 12 vagas da Câmara dos Vereadores de Dourados estão sendo disputadas por 159 candidatos, também em clima de muita animosidade.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE